Practicus

A Grande Obra, para o Practicus, é definida como "obter o controle das vacilações do meu próprio ser".

Practicus é uma palavra latina que significa "aquele que pratica", ou "alguém que toma a ação," a partir do grego praktikos, "apto à ação, prático, eficaz". A idéia raiz é a atividade. Ao comentar sobre o nome do Grau em Liber 185, os fundadores da A.'.A.'. escreveram:

Que ele lembre que a palavra Practicus não é um termo em vão, mas que a Ação é o equilíbrio dele que está na Casa de Mercúrio, que é o Senhor da Inteligência.

Avanço

Não há nenhum ritual de admissão aos Graus de Practicus, Philosophus ou Dominus Liminis. O avanço "é conferido pela autoridade quando a tarefa do Zelator for cumprida" (Liber XIII). Os detalhes são dados em Liber 185, Papel D., par. 0, como segue:

Que qualquer Zelator seja apontado pela autoridade a proceder ao grau de Practicus.

Que ele leia do princípio ao fim esta nota de sua função, e assine-a.

Que ele realize as adições necessárias a serem feitas ao seu robe de Zelator.

Que ele marque um encontro com o seu Practicus ao prazer do último para a concessão do avanço.

O robe do Practicus é idêntico ao do Zelator, porém com a adição de uma estrela de seis pontas de prata, de 48 raios, em torno do triângulo no capuz.

Uma "regra" muda no Grau de Practicus. O Probacionista, Neófito e Zelator foram avisados de que podem desligar-se da A.'.A.'. a qualquer momento. No entanto, o Practicus e Philosophus são aconselhados em Liber 185 a não tentar retirar-se de sua associação com a A.'.A.'.. O intuito é que perseverem pelo menos até o ponto de equilibrar-se, novamente no Pilar do Meio, no Grau de Dominus Liminis.

Cabala

Practicus. - É esperado completar seu treinamento intelectual e, em particular estudar a Cabala. (Uma Estrela à Vista).

Ele deverá passar exames em Liber DCCLXXVII, Qabalah, e Sepher Sephiroth. (Liber 185)

Instrução e Exame sobre a Cabala e Liber DCCLXXVII. (Liber XIII)

Liber 777 e Sepher Sephiroth são listados como itens específicos do estudo para o Practicus. Além disso, o Currículo do Practicus contém várias instruções oficiais cabalísticas: Gematria (Líber LVIII, EQUINOX V); Liber Arcanorum (O Livro dos Mistérios Sagrados); Liber TAV vel Kabbalae Trium Literarum (Livro Tav, ou o Livro da Cabala de Três Letras), e Uma Nota Sobre o Gênesis. Além disso, outros estudos sobre a Cabala irão depender das necessidades, interesses e sugestões interiores do Practicus.

Para a maior parte, o método de teste do progresso cabalístico é deixado ao Philosophus supervisor. No entanto, uma análise específica é descrita em Uma Estrela à Vista:

Na Cabala, o candidato deve descobrir por si mesmo, e provar ao examinador além de quaisquer dúvidas, as propriedades de um número nunca previamente examinado por qualquer estudante.

Gnana Yoga

Instrução em Meditação Filosófica (Gnana-Yoga). (Liber XIII)

Gnana Yoga normalmente é traduzido como "União pelo Conhecimento". É um percurso intelectual para a consecução, embora exigindo um intelecto iluminado. A Cabala é primariamente o Gnana Yoga da tradição mágica ocidental. Aleister Crowley não escreveu nenhuma instrução oficial em separado sobre Gnana Yoga. Em Liber Aleph, Cap. 137, ele mencionou,

Gnana Yoga ... do qual eu escrevi apenas aqui e ali, como quem iria espalhar pedras grandes na Terra em desordem, por Padrão de construí-las nobremente em uma Pirâmide.

Controle da Fala

Instrução e Exame em Controle da Fala. Prático. (Liber XIII)

Ele deverá alcançar sucesso completo em Liber III, Cap. I. (Liber 185)

A tarefa real é "o controle da fala." Uma ferramenta que é dada para este fim é Liber III, ou seja, Liber Jugorum.

Fusão da Taça Mágica

Além disto, ele deverá construir a Taça mágica, de acordo com a instrução em Liber A. (Liber 185)

Além disso, ele funde a Taça Mágica. (Liber XIII)

Ele deverá de todos os modos estabelecer controle perfeito de sua razão de acordo com o conselho de seu Practicus, pois a ordália do avanço não é leve. (Líber 185)

Expansão da Consciência

A ele é dada uma prática de meditação sobre a Expansão da Consciência. (Liber XIII)

Esta prática de meditação sobre a Expansão da Consciência é Liber DXXXVI, entitulado Liber Batrachophrenobookosmomachia.

Divinação - O Caminho de Qoph

Ele deverá além disso mostrar alguma familiaridade e experiência com seu método de divinação escolhido. Todavia nesta matéria ele deverá ser o seu próprio juiz. (Liber 185)

Exame em algum método de divinação: e.g., Geomancia, Astrologia, o Tarô. Teórico. (Líber XIII)

Este estudo e prática foram inauguradas durante o período de Probacionista ou de Neófito. Como um Practicus, isso deve ser trazido a um alto padrão de perfeição. Uma Estrela à Vista adverte que, "em divinação, a resposta deve ser tão precisa quanto uma tese científica, e tão acurada quanto uma auditoria."

INTERPRETAÇÃO: Essa prática é uma das várias neste Grau destinadas a cobrir a fenda entre os modos Yetzirático e Briático de consciência. Esta "revisão" é uma das características básicas do Grau. A divinação, propriamente feita, mobiliza tanto as faculdades quanto as potências Yetziráticas de um modo mágico, e fornece um canal confiável de acesso à intuição do praticante. É um dispositivo para um aumento na habilidade de ouvir a Voz Interior, que é a voz do Sagrado Anjo Guardião.

Intensificação da Luz - O Caminho de Tzaddi

Além disso, ele deverá passar pela prática de meditação S.S.S., em Liber HHH. (Liber 185)

Duas das meditações em Liber HHH foram realizadas pelo Zelator. Chamadas AAA e MMM, elas corresponderam à água e ao ar, respectivamente. O Practicus deve realizar a terceira, chamada SSS, que é atribuída ao elemento Fogo, e trata da ascenção consciente da kundalini.

Destruição dos Pensamentos - O Caminho de Peh

Ele deverá ... e passar exames no Ritual e na prática de meditação dados em Liber XVI. (Liber 185)

Ele recebe uma prática de meditação sobre destruição dos pensamentos. (Líber XIII)

Pe - A destruição da Casa de Deus. Liber XVI. (Liber Viarum Viae)

Liber XVI é Liber Turris vel Domus Dei (O Livro da Torre, ou o Livro da Casa de Deus). É a "prática meditativa sobre a destruição de pensamentos" mencionada no Liber XIII.

Liber Turris é emitido ao Philosophus, bem como ao Practicus e, é uma das melhores preparações para as formas de Raja Yoga exigidas no Grau de Dominus Liminis. Sucesso, para o Practicus, portanto, não significa nada perto do completo sucesso em Liber Turris. 

Outras Tarefas

O Practicus deverá memorizar Liber Trigrammaton (O Livro dos Trigramas). Esta documento em Classe A é "uma descrição do processo cósmico: descreve o Curso de Criação sob a figura da interação de Três Princípios", de acordo com o Currículo.

Além de tudo isso, ele deverá aplicar-se a um modo de vida inteiramente adaptado ao Caminho. (Líber 185)

Avanço para Philosophus

Segundo o Liber 185, o processo de avanço para Philosophus e, mais tarde, para Dominus Liminis é idêntico ao de avançar para Practicus. Não existe um tempo mínimo. Não há nenhum ritual de avanço além da leitura da Tarefa e a assinatura do Juramento. Avança quando o trabalho do grau anterior está terminado.

Quando a autoridade conferir o grau, ele deverá regozijar-se nisto; mas acautele-se, pois esta é a segunda partida do pilar do meio da Árvore da Vida. (Liber 185)