Sobre a Santa Fraternidade

"Sê alerta e ativo como os Silfos, mas evita frivolidade e capricho. Sê enérgico e forte como as Salamandras, mas evita irritabilidade e ferocidade. Sê flexível e atento às imagens como as Ondinas, mas evita ociosidade e inconstância. Sê laborioso e paciente como os Gnomos, mas evita grosseria e avareza. Deste modo desenvolverás gradualmente os poderes da tua Alma e te capacitarás a comandar os Espíritos e os elementos. Pois se usares os Gnomos para satisfazer tua avareza, não mais os estarás comandando, mas eles te comandarão. Serias capaz de abusar das puras criaturas dos bosques e montanhas para encher teus cofres e satisfazer tua fome por Ouro? Degradarias os Espíritos do Fogo Vivo para servirem à tua cólera e ódio? Violarias a pureza das Almas das águas para alcovitar tua devassa luxúria? Forçarias os Espíritos da Brisa da Tarde a atender tua tolice e capricho? Saiba que com tais desejos tu apenas atrairás o Fraco e não o Forte, e que neste caso o Fraco terá poder sobre ti". - Liber Librae.

Pelo nome A.·.A.·. designamos Àquela Eterna Ordem que Paul Foster Case e Kenneth Mackenzie chamavam de “Invisível e Verdadeira Ordem” e que Karl von Eckartshausen entitulou de "Igreja Interna" ou "comunidade de luz". Existindo através da história, guiando silenciosamente a evolução cultural e espiritual da humanidade, ela é o Sanctum Sanctorum onde a Sagrada Arca repousa inviolável. Toda legítima ordem mágica, escola de mistérios, fraternidade ou religião que dissemina uma parte da Sabedoria tem sido um veículo externo de Irmandade Interna de Luz.

Existe ALGO dentro de cada um, imortal e infinitamente criativo, que verdadeiramente nos dá origem. Instintivamente, todos nós sabemos que devemos buscá-lo, apreendê-lo e nos rendermos a esse Ele, como a nós mesmos, ao mais irresitível e completo amor.

Então devemos dar-Lhe expressão em nossas vidas e em nosso trabalho, pondo para fora a nossa real essência naquilo que mais amamos. Essa é a Verdade interna do Ser – essa Verdadeira Vontade, ou central, princípio guia espiritual de nossas vidas – que o sistema místico e mágico da A.·.A.·. desvela e desperta de dentro de cada um de nós.

Aleister Crowley resumiu a natureza e propósitos da A.·.A.·. como se segue:

Em todos os sistemas religiosos existe um sistema de Iniciação que pode ser definido como o processo pelo qual um homem chega a apreender aquela Coroa desconhecida.

Embora ninguém possa comunicar quer o conhecimento ou o poder para conseguir isto que podemos chamar a Grande Obra, entretanto é possível a iniciados guiar a outros.

O objetivo deste site será de auxiliar buscadores no próximos passo.